Não tenha medo de elogiar o seu filho!

Não tenha medo de elogiar o seu filho!

A minha filha não se porta bem. Mas será preciso eu estar sempre a elogiá-la, por cada pequena tarefa que ela faz bem no dia-a-dia, ou por saber partilhar os seus brinquedos com os outros meninos?

Esperar que uma criança passe sem qualquer forma de elogio ou recompensa é irrealista. A única forma de uma criança aprender um determinado tipo de comportamento é dar o devido relevo a esse comportamento. Se notado e apreciado pelos pais, é mais provável que se repita. Se ignorado, é menos provável que venha a ocorrem de novo. Por essa razão, não se deve nunca deixar passar despercebida qualquer forma de bom comportamento, ou rapidamente vai deixar de o presenciar.

 

Não poderá o elogio ser visto como uma forma de manipulação, ou soar a falso?

Não acha que se eu elogiar o meu filho para o persuadir a portar-se de uma determinada maneira estou a manipulá-lo? Quando o elogio de forma consciente, sinto-me esquisita, parece-me falso.

A utilização do termo “manipular” pressupõe que o pai ou a mãe está secretamente a tentar provocar um determinado comportamento desejável, contra a vontade do filho. Na verdade, o objectivo do elogio é realçar e potenciar o comportamento positivo com o conhecimento da criança. Elogios e recompensas planeados juntamente com as crianças provocam o seu melhor comportamento. Não é muito diferente do que os empregadores fazem ao oferecer regalias aos empregados que desempenham particularmente bem o seu trabalho. O elogio poderá soar “falso” quando se começa a praticar – qualquer novo tipo de comportamento tende a causar alguma estranheza no início, é uma reacção perfeitamente natural. Mas lembre-se, quanto mais usar o elogio, mais à vontade se vai sentir.

 

Deverá o elogio ser reservado para ocasiões excepcionais?

Eu prefiro guardar os elogios para aquilo que é realmente merecedor, como por exemplo um 5 a matemática, ou uma cama impecavelmente feita, ou um desenho muito bom. Não é assim que se ensina uma criança a ser exigente consigo própria?

O problema com esta abordagem é não ter em consideração que ninguém alcança a perfeição sem percorrer um longo caminho, com muitas etapas. A atenção dos pais deve centrar-se no processo de tentar – para criar um desenho, fazer a cama ou resolver um problema de matemática. De outro modo, pode nunca haver ocasião para o elogio: as crianças cujos pais reservam o elogio para a perfeição geralmente desistem de tentar antes de a alcançar.

Portanto, esforce-se por reparar quando o seu filho está a portar-se bem. Repare quando ele partilha alguma das suas coisas, é bem-educado a falar, faz o que lhe pedem, vai para a cama quando lhe dizem, cumpre as suas tarefas… Não dê por garantido este tipo de comportamento do quotidiano, elogie. Concentrando a sua atenção no facto de o seu filho estar a tentar fazer a cama ou lavar a louça, vai modelar o seu comportamento na direcção desejada. Por outras palavras, lembre-se de elogiar o processo de tentativas para alcançar determinada coisa, não apenas o sucesso dessas tentativas.

Sem comentários

Sorry, the comment form is closed at this time.

Loading...